Dia dos pais na escola

Ser mãe solo tem inúmeros desafios e dificuldades. Tem o dia-a-dia, tem o trabalhar, cuidar da casa, da filha e ainda ter dinheiro para bancar tudo. Tem dias em que as coisas simples se acumulam de forma que viram algo muito puxado e cansativo. Tem as noites em claro, tem os medos, as decisões. Tudo sempre sozinha. Não tem com quem dividir as angustias da criação. Mesmo tendo meus pais que participam, eu coloco alguns limites para esclarecer para a Isabela que filho é responsabilidade dos pais e que se o pai dela abriu mão, eu agarro com unhas e dentes os dois papéis. Foi uma escolha minha.

Uma das piores dificuldades de todas as mães solos, incluo aqui as mães de filhos em que o pai já faleceu, é o tal dia dos pais. Acho uma tremenda maldade as escolas fazerem presentinho, musiquinha e festinha homenageando uma pessoa específica, sendo que essa pessoa nem sempre existe.

Todos os anos a Isabela fica muito mal na semana do dia dos pais, esse ano, durante a aula de música, ela saiu da sala para chorar. A única diferença nesse ano foi que pela primeira vez ela não teve vergonha do que sentia.

Ela sempre fala que está lá cantando o quanto o tal papai é especial e pensando que o ser tão especial nunca mais apareceu para vê-la e que as poucas vezes que a viu na rua fingiu não conhecer. A obrigatoriedade da criança ficar lá, ouvindo o que um pai faz e pensando que nunca teve isso só machuca.

Mesmo que todo ano ela entregue uma cartinha e um presente para o avô (meu pai) e agradece por ser um vô/pai e, que todo ano ela me dê cartãozinho agradecendo por ser “pãe”, no mês de agosto, somos lembradas anualmente que ela tem um pai que a rejeitou (palavras dela).

Na minha rotina como advogada, acompanho diversos casos de mães solos, de pais que entram na minha sala para dizer coisas como “prefiro deixar meus filhos sem nada a dar dinheiro para a mãe deles” (é disso para pior). Também já acompanhei a Isa em algumas festinhas dos pais e vi que muitos dos pais mal participam das atividades propostas no dia, mas suas redes sociais são cheias de fotos com legendas clássicas como “meu bem mais precioso”. O triste é ver que existem pais piores do que os pais que abandonam.

Como a Isabela me acompanha no trabalho, e também observa os pais dos amigos, ela sempre fala que prefere não ter um pai a ter um cara que finge ser pai só porque a mulher engravidou e eles ainda estão casados. Ela também critica muito os pais de amigos que aparecem de final de semana e são uma porcaria como companhia para os filhos. Mas também repara quando vê um pai bacana, e eu reforço para ela quando vemos alguma cena legal de pais, afinal, não vou ensiná-la a odiar todos os homens só porque grande parte dos exemplares são péssimos seres humanos.

Essa reação toda depende de como é apresentado para a criança. Existiram professoras que falaram para ela que não era só o pai que era especial nesse dia, também podia ser o avô, a mãe ou qualquer outra pessoa que ela quisesse. O fazer presente sob essa nova orientação tornou mais leve. Mas quando não vem esse papo antes, vem sofrimento.

Me recordo de uma criança que quando a professora disse que podia dar o presente para quem quisesse, essa criança decidiu que faria pra si mesma. Queria que a Isa tivesse essa auto-estima.

Há uns anos uma professora da Isabela falou para ela escolher alguém muito especial e dar o presente, e que ela não precisava ficar chateada porque ela era rodeada de amor. Quando alguém de fora mostra isso para a criança, ela acredita, porque muitas vezes ela acha que a mãe só fala para consolar sua dor.

Depois de ver tudo isso todo dia, na vida pessoal, no trabalho, nas rodas de amigas, fico pensando o quão maldoso é obrigar as crianças a participarem de um dia chamado “dia dos pais”. Fica a sugestão ou o apelo, vamos trocar o dia dos pais por dia da família, por dia de eleger um adulto especial ou por dia de quem me dá amor.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: