Respeite o medo de Papai Noel

Desde que o Papai Noel apareceu no shopping que eu e a Isabela o visitamos constantemente. Ela adora ir ver ele e conversar. Ela diz que quando crescer vai ser Mamãe Noel para morar na fábrica de brinquedos. Quando outras crianças dizem que não acreditam em Papai Noel, ela fala que essa criança é doida.

Em algumas de nossas visitas ao Papai Noel, notei que muitas crianças tem medo dele. Esse ano, as crianças assustadas que mais marcaram foram duas de aproximadamente dois anos. Eram duas mães com duas crianças chorando e as mães as forçando a ir até o Papai Noel. Eu senti que ele estava incomodado com a situação, as crianças não queriam chegar perto. Uma das mães bateu a foto de duas crianças berrando na poltrona e uma mãe ao lado, sorrindo.

Eu nunca vou entender o propósito dessa foto. Muitos pais insistem e obrigam os filhos apavorados a sentar no colo ou na poltrona junto com o Papai Noel. Guardam de lembrança uma foto de Natal. Uma recordação pra vida toda do seu filho apavorado e berrando.

Vivemos uma era em que o que importa é a foto perfeita. As pessoas usam filtros nas fotos para fingir que o dia estava ensolarado, tiram fotos em festas chatas fingindo estar se divertindo, e obrigam seus filhos a tirar foto (mesmo que chorando) com o Papai Noel. Será que isso é realmente importante? Não seria mais legal tirar uma foto do seu filho sorrindo perto dos enfeites natalinos ou brincando pelo shopping? Guardar uma lembrança do dia que você obrigou seu filho a passar por uma situação assustadora é bizarro.

E por que não respeitar o medo? Deixe a criança ir se familiarizando com o ambiente e a figura do Natal. Vá aos poucos, no ritmo dela, até ela perceber que não tem perigo. Coloque a criança para observar as outras crianças saírem felizes e ilesas, assim ela percebe que não tem perigo. Se a criança não quer ir até lá, não force. Se coloque no lugar dela, você gostaria de ser forçado a tirar uma foto com algo que te assusta?

A Isabela teve medo por algum tempo, eu procurei respeitar isso para que não virasse um trauma natalino. Ela chegava perto da poltrona e travava. Algumas vezes ela falava com a Mamãe Noel e pedia para transmitir o recado, outras vezes ela colocava a cartinha em um local longe para o Papai Noel pegar. Com o tempo ela foi se aproximando e percebendo que não tinha perigo.

Aqui em casa temos um vídeo de quando a Isabela tinha dois anos. As crianças estão brincando no parque da escola. De repente aparece o Papai Noel e a Isabela sai correndo. A professora não a obrigou a conviver com ele. Ficou o tempo todo com ela, afastada do grupo. Quando foram receber os presentes, a professora foi com ela no colo e pegou o presente para ela. Isso é respeito.

Essa foto que usei para ilustrar foi a primeira vez que ela foi sozinha até a poltrona. Ela já tinha cinco anos, mas ainda não estava muito a vontade. Ela sentou tensa, olhou bem a roupa do Papai Noel e perguntou:

-Por que você não veste uma bermuda? Está muito calor aqui.

O Papai Noel quebrou o gelo fazendo piadas sobre sua roupa fora de estação. Ela pediu o presente, deu um abraço bem tenso e correu para me abraçar. Depois disso ela e o Papai Noel viraram amigos. Todo Natal vamos várias vezes visitar e ficar olhando o movimento em torno dele.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: