Ovos de Páscoa

10920911_661639033958685_1634220962900935305_n
Ovo de colher que a Isabela escolheu para eu dar

Com a Páscoa chegando fica super na moda falar sobre ovos de chocolate. (Eu sou cristã, mas aqui não é pra falar de Jesus, é pra falar de criação de filhos). Enfim, os ovos! Super valorizados, super criticados, super cobiçados e por mais que todo mundo fale do que dá para comprar com o valor dos ovos, todo mundo compra ao menos um.

Deve ser cultural isso, vamos todos comprar algo que odiamos. Ou vamos comprar criticando. Mas vamos comprar! Fala sério, se você se sente roubado ou enganado, por que faz? Quem te obriga? Eu adoraria saber por que é que uma pessoa que se sente ofendida comprando ovo de Páscoa se dá ao trabalho de ir até o mercado comprar um ovo de Páscoa?

Vou contar aqui minha história com o ovo, o porque da minha revolta com o mercado e com os consumidores. Todo ano eu fico assustada com o preço dos ovos, mas eu compro um ovo para o coelho dar para a Isabela e um ovo para eu dar. Ela ainda não sabe que os dois vêm de mim.

Esse ano eu resolvi fazer uma compra diferente. Ao invés de comprar dois ovos de marca famosa, propus a ela que comprássemos um ovo caseiro de uma amiga que faz excelentes doces. A princípio propus os dois serem caseiros porque eu achava que o preço valia mais a pena, mas ela fez uma cara de “mãe você ta louca, é o coelho e ele pode tudo” e me falou apenas que o do coelho ela queria um de personagens famosos porque ele conseguia qualquer ovo.

Ontem aproveitei que tinha um horário vago no meio da tarde e corri no mercado comprar o ovo do coelho. Um ovo pequeno, com um brinquedo que ela vai enjoar em menos de dois dias. Mas faz parte da tradição da Páscoa e eu não me importo em mantê-la, não me importo em gastar a quantia do ovo. Nunca gasto a mais com nada, já estava salvo para a reserva do mês comprar ovos.

O que me chocou foi quando passei a compra no caixa. A mulher que trabalhava no caixa pegou o ovo e falou que esse era o ovo que a neta dela queria. Ficou analisando com todo cuidado como se estivesse memorizando a embalagem. Quando passou a compra e viu o preço, a expressão dela mudou na hora. Ela falou com a voz triste que esse preço era um absurdo. Que ela havia prometido para a neta dois ovos de dois personagens que a neta adora, mas que por esse preço ela não sabia como fazer. Ela finalizou minhas compras quase de luto.

Tudo que eu consegui falar para ela foi que não precisamos comprar os ovos, que eu só ia dar um pra a minha filha. Disse que expliquei que era caro e que o coelho dava apenas um ovo por criança. Acho errado todos darem ovos, não pelo preço, pela quantidade de doces mesmo. Mas não entrei nessa questão com ela, não era o caso. O fato é que se não podemos comprar ou se achamos abusivo, por que compramos? Quem nos obriga se não nós mesmos? As pessoas falam que se você não fizer será o único a não fazer e seu filho ficará traumatizado. Mas você precisa colocar seu filho na realidade que ele vive. É muito melhor conversar e sempre jogar aberto de acordo com o que você pode dar. A criança fica muito mais frustrada em viver uma realidade falsa ou em viver em promessas mal cumpridas.

Passei ontem o dia todo com isso engasgado. A empresa cobra o quanto ela quiser. Assim como nós compramos somente se quisermos. Eu vejo que nossa vida de consumidor é viver procurando motivo para ser infeliz. E o pior, é ensinar para as crianças que elas precisam daquilo, do caro, do abusivo. Os adultos falam para as crianças que o preço do ovo é um roubo e vão lá e dão um monte de ovos para elas. Que mensagem estamos passando? Compre não importa o preço do produto! Pior que as crianças ainda ouvem frases como: “olha só, trinta reais nessa porcariazinha”. Traduzindo para a linguagem delas: olha só, gaste a fortuna de trinta reais mesmo que a compra seja uma porcaria”.

O que quero dizer com tudo isso é apenas para que o discurso seja mais coerente. Primeiro para nós mesmos, vamos assumir o que queremos fazer, ser e comprar. Vamos parar de buscar razões para infelicidade. Se somos contra, é simples, não aceitamos, mas se somos a favor, nós acatamos. Segundo pelos filhos, acabe com a cultura do consumismo e do “você precisa do mais caro para ser igual a todo mundo”. Ensine para eles que se o preço compensa ou se a coisa é essencial não tem problema, mas que tudo em excesso ou abusivo não vale a pena. Por fim, coloque a criança no mundo em que ela vive. Ninguém quer um dia acordar e descobrir que vive uma mentira.

Finalizo com esse texto que explica de forma bem didática o motivo do preço dos ovos:

http://alimentandoadiscussao.com/2013/03/26/post-especial-de-pascoa-por-que-os-ovos-sao-tao-caros/

2 comentários em “Ovos de Páscoa

Adicione o seu

  1. Sabe, acho mto legal aproveitar esse clima da páscoa pra fazer os ovos! as crianças amam, e não tem segredo: derrete o chocolate e põe na forma. Fica uma coisa com mais sentido também, tipo a criança dá pra professora o ovo que ela mesma fez! Aqui em casa é um sucesso – além de beeeeem mais barato…

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: